O Poder das Mina: Uma lista baseada em Mulheres fundamentais no Rock e Metal
Postado em 14 de março de 2018 @ 08:36 | 249 views


Como 8 de março celebramos o Dia Internacional da Mulher, a playlist Heavy Talk Radio deste mês vai engrandecer a participação de diversas mulheres, de diferentes estilos e épocas, na contribuição para o rock e heavy metal brasileiro e internacional.

Caso você ainda não saiba, temos uma playlist no Spotify chamada Heavy Talk Radio que você pode seguir clicando aqui. A cada mês, um tema diferente nos ajuda a escolher as 30 canções de diferentes 30 artistas que indicaremos. Abaixo você poderá conhecer em nossa playlist uma série de bandas e obras cuja qualidade veio através do empenho e competência de mulheres incríveis do rock e heavy metal.

 

Gostou da nossa lista? Então comece a seguir nossa playlist no Spotify imediatamente! Mês que vem ela será atualizada com mais 30 canções de 30 artistas para enriquecer seu repertório.

 

1. Amaranthe – Hunger

O Amaranthe é uma banda sueca de metal sinfônico que mescla também elementos digitais e eletrônicos. A banda possui três vocalistas: uma mulher (Elize Ryd) e dois homens (Jake E., que faz os vocais melódicos, e Henrik Englund, que faz os vocais guturais). Entretanto, a estrela que mais brilha e que dá cara à banda é Elize.

 

 

2. Arch Enemy – The World Is Yours

Antes capitaneado por Angela Gossow (dona de um dos guturais mais respeitados do mundo), hoje a voz do Arch Enemy é Alissa White-Gluz, ex-The Agonist. Também poderosa, Alissa contribuiu para uma nova imagem comercial da banda e uma renovação dos fãs, visto que o público do The Agonist em geral é mais jovem que o do Arch Enemy. Alissa também fez participação no álbum Omni, do Angra, ao lado de Sandy na faixa “Black Widows Web”.

 

 

3. Cássia Eller – Try A Little Tenderness

Embora cantasse diversos estilos, Cássia Eller era um ícone punk do Brasil. Poucas composições suas ficaram conhecidas. Porém, era uma das intérpretes mais respeitadas do país. Também foi um nome importante na luta pelo respeito aos homossexuais. Infelizmente, faleceu em dezembro de 2001 aos 39 anos devido a um infarto. Embora fosse usuária de cocaína, a hipótese de overdose foi descartada.

 

 

4. Cherri Bomb – The Pretender

Falando de interpretações de canções de outros artistas, a banda Cherri Bomb (composta por mulheres) possui um excelente cover da canção “The Pretender”, do Foo Fighters.

 

 

 

5. Crucified Barbara – Bad Hangover

Outra respeitadíssima banda composta por mulheres foi o Crucified Barbara. Formada na Suécia, o quarteto comandado por Klara Force, Ida Evileye, Mia Coldheart e Nicki Wicked lançou quatro ótimos discos durante seus 18 anos de atividade. A banda encerrou sua jornada em 2016. Em suas visitas ao Brasil, chegaram a conceder duas entrevistas ao nosso canal.

 

 

6. Decades – Get Me Home

O Decades é uma banda da Nova Zelândia ainda pouco conhecida mundialmente. Possui apenas um disco, lançado em 2017, cujos vocais poderosos de Emma roubam a cena.

 

 

 

7. Devilskin – Mountains

Também da Nova Zelândia, o Devilskin é uma banda de metal alternativo formada em 2010 e com os vocais liderados por Jennie Skulander. Em seus 8 anos de atividade, a banda possui dois álbuns de estúdio e um ao vivo.

 

 

 

8. The Dirty Youth – Fight

Também com dois discos lançados, o The Dirty Youth nasceu no país de Gales, Grã-Bretanha, após um encontro de Danni Monroe e Matt Bond em um festival de música. Também pouco conhecida mundialmente, o grupo traz uma proposta com peso e apelo comercial que tem potencial para chegar muito longe.

 

 

 

 9. The Distillers – Hall Of Mirrors

O projeto de Brody Dalle foi uma obra extremamente admirada por fãs de punk rock. Tornando-se um ícone feminino do punk mundial, Brody lançou com o Distillers três álbuns durante a atividade da banda, de 1998 a 2006. A banda encerrou atividades na primeira gravidez de Brody, das três que teria com seu esposo Josh Homme, do Queens Of The Stone Age. Após o fim do Distillers, formou a banda Spinerette, que acabou em 2011. Atualmente, segue em carreira solo.

 

 

10. Djerv – Headstone

O Djerv é um trio norueguês que mistura rock, heavy metal e black metal. Os vocais ficam por conta de Agnete Kjølsrud, que participou do DVD Forcer Of The Northern Night, do Dimmu Borgir, na faixa “Gateways”. O videoclipe da música também conta com a participação de Agnete.

 

 

 

11. Dorothy – Gun In My Hand

Dorothy Martin é uma húngara de 31 anos que começou em 2014 a banda que carrega seu nome, Dorothy. Com o lançamento do primeiro disco ROCKISDEAD em 2016, a cantora arrecadou milhões de fãs, possuindo em média 900 mil ouvintes mensais apenas na plataforma Spotify.

 

 

 

12. Evanescence – Made Of Stone

Quando trata-se de mulheres poderosas no rock, é impossível ignorar a influência de Amy Lee. A big boss do rock norte-americano já deixou a claro a que veio e foi a grande idealizadora de uma das mais bem sucedidas bandas de rock de todos os tempos. Nos 23 anos em que está liderando o Evanescence, lançou apenas 4 discos e soube extrair o máximo possível de cada um deles.

 

 

13. Eyes Set To Kill – Infected

Uma banda com o live-up controverso, o Eyes Set To Kill foi fundado em 2003 e 18 músicos já passaram pela sua formação. Foi construída pelas irmãs Alexia e Anissa Rodrigues juntamente com a amiga Lindsey Vogt no Arizona. Com 5 álbuns lançados, a vocalista e guitarrista Alexia é a única integrante original que permanece na banda. A atual formação conta com mais uma mulher, a baixista Tiaday Xavier Ball.

 

 

14. Far From Alaska – Pelican

O Far From Alaska, formado em 2012 no Rio Grande do Norte, é uma das novas bandas brasileiras de rock que estão fazendo um trabalho de extremo primor. O quarteto conta com duas meninas na banda, Emmily Barreto e Cris Botarelli. Com dois álbuns de ótima qualidade, o Far From Alaska também possui diversas parcerias com outras bandas que estão reerguendo o rock no Brasil, como Supercombo, Ego Kill Talent e Scalene.

 

 

15. Flyleaf – Chasm

O Flyleaf é uma banda cristã de rock respeitadíssima fundada em 2000. Primeiramente encabeçada por Lacey Mosley e, posteriormente, Kristen May. Ambas saíram do grupo para se dedicarem mais à família. A banda está temporariamente inativa e sem vocalista.

 

 

 

16. Halestorm – Mz. Hyde

Uma das maiores demonstrações de poder feminino no rock atual, Lzzy Hale é uma voz poderosíssima que faz questão de pisar nos pedais de sua guitarra de salto alto. Ganhando cada vez mais admiração por onde passa, o Halestorm já está acostumado a roubar a cena pelos festivais onde passa (muito disso devido a grande competência de Lzzy).

 

 

17. In This Moment – Forever

Fundada em 2005, o In This Moment traz uma fusão de diversos estilos de metal junto a uma performance altamente teatral no palco. Ao lado de Lzzy, do Halestorm, a vocalista Maria Brink é uma das mulheres que mais impressiona em suas performances no rock atual. Em 13 anos, foram 6 álbuns lançados. O último deles com participação de ninguém menos que Rob Halford, do Judas Priest.

 

 

18. Luxúria – Ódio

Luxúria foi uma banda que ganhou grande notoriedade no Brasil em 2006 com o lançamento do seu único disco, autointitulado Luxúria. Após o fim da banda, a vocalista e idealizadora do projeto Megh Stock chegou a lançar dois discos solo.

 

 

 

19. Nightwish – Shudder Before The Beautiful

Uma das mais respeitadas bandas de metal do planeta, os finlandeses do Nightwish sempre tiveram uma mulher à frente dos vocais. De sua fundação em 1996 até 2005, a tarefa foi da diva Tarja Turunen. De 2007 até 2012, uma controversa passagem de Anette Olzon. E, desde 2013, o casamento perfeito aconteceu com o mulherão (no sentido literal da palavra) Floor Jansen.

 

 

20. Paramore – Monster

Se você é um metaleiro malvadão das trevas, vai odiar essa indicação. Mas é inegável a importância do Paramore dentro do rock para uma geração mais recente. E o trabalho que Hayley Williams fez com a banda sempre foi primoroso (dentro daquilo a que se propõe).

 

 

 

21. Pitty – Desconstruindo Amélia

É impossível falar de mulheres importantes do rock no Brasil sem falar de Pitty. Não apenas pelo seu trabalho artístico, mas também pelo seu discurso, a baiana sempre foi um ícone de força e independência para suas admiradoras.

 

 

 

22. The Pretty Reckless – Wild City

Taylor Momsen começou carreira como atriz mirim, passou para estrela adolescente e abandonou a atuação para se dedicar a uma banda de rock. Amada por uns e criticada por outros, é inegável que Taylor possui talento e que o The Pretty Reckless soube envelhecer junto com seu público. Do primeiro ao terceiro disco, é notável o amadurecimento sonoro e o aprofundamento artístico do quarteto. Prova disso é a faixa Wild City.

 

 

23. Thundermother – We Fight For Rock N Roll

O Thundermother é uma banda de hard rock clássico formado por mulheres na Suécia no ano de 2010. Um trabalho fantástico que pode facilmente ser colocado entre as melhores bandas de hard rock em atividade no momento.

 

 

 

24. Lacuna Coil – The House Of Shame

Na semana do dia da mulher de 2017, estive no Rio de Janeiro entrevistando ninguém menos que Cristina Scabbia, do Lacuna Coil, sobre o álbum Delirium. Na oportunidade, ela mencionou que uma das suas canções favoritas do disco era “The House Of Shame”. O pedido de Cristina é uma ordem.

 

 

 

25. Joan Jett – Dirty Deeds

Um dos mais importantes nomes vivos entre as mulheres do rock, Joan Jett revolucionou a história da música com o The Runnaways. Após o encerramento da banda, permaneceu com uma ótima carreira. Sua versão para Dirty Deeds, do AC/DC, não perde em nada para a banda original.

 

 

 

26. Doro – All We Are

Completando nada menos que 36 anos de carreira, a alemã Doro Pesch foi uma das primeiras e poucas mulheres a tentar carreira no heavy metal europeu nos anos 80. É conhecida como a Rainha do Metal e se lançou em carreira solo após quatro álbuns como vocalista da banda Warlock. Na carreira solo, já são 12 discos lançados

 

 

27. The Donnas – Take It Off

O The Donnas é uma banda feminina fundada em 1993 nos Estados Unidos. Explodiu mundialmente no início dos anos 2000, inclusive com visitas ao Brasil. Após 7 discos lançados, a banda entrou em hiato em 2012 e não voltou à atividade até hoje, embora nunca tenha anunciado seu encerramento.

 

 

 

28. Janis Joplin – Piece Of My Heart

Dona de uma estridente e poderosíssima voz, Janis Joplin revolucionou o mundo da música nos anos 60. Com forte influência do blues e soul, em apenas 7 anos de carreira fez seu nome estar (até hoje) entre os 100 maiores artistas de todos os tempos. Devido ao abuso de álcool e drogas, faleceu aos 27 anos em 1970.

 

 

29. Rita Lee – Esse Tal de Rock Enrrow

E o Brasil também tem sua Janis Joplin (com maior longevidade, felizmente). Rita Lee permanece em plena atividade aos 70 anos, sendo 55 de carreira. A rainha do rock brasileiro flerta em diversos momentos com a psicodelia e é muito admirada no nosso país e fora dele. Já foi mencionada inclusive por Rihanna, que afirmou que gostaria de fazer um dueto com Rita.

 

 

30. Nervosa – Intolerance Means War

E para fechar nossa lista com peso, a Nervosa é uma banda brasileira de thrash metal formada por três mulheres que tem ganhado grande espaço no mercado europeu (realizando de 15 a 20 shows por mês quando vão pra lá). Possuem dois discos gravados nos seus 8 anos de existência. O álbum de estreia, Victim Of Yourself, foi comparado na imprensa internacional com os primeiros discos do Kreator e Destruction.

 

Formado em jornalismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) desde 2014, iniciou a jornada nesse meio colaborando em diversos sites especializados em rock e heavy metal ainda em 2007. Fundador do Heavy Talk.

 
Categoria: Artigos · News
Tags:




Deixe seu comentário





0 Users Online
 
HEAVY TALK - Official Website - All Rights Reserved 2017
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com