David Draiman, do Disturbed, critica Roger Waters por boicotar Israel
Postado em 04 de junho de 2019 @ 23:48 | 503 views


Cantor se opõe a boicote de toda a população por questões políticas específicas.

O vocalista David Drainman, do Disturbed, possui descendência judaica e se posicionou contra um crescente movimento que tem Israel como alvo.

Vários artistas têm apoiado uma campanha de boicote chamada BDS (Boycott, Divestment and Sanctions), que pressiona Israel para acabar com a ocupação do território palestino, reconhecer direitos iguais para os cidadãos árabes e o direito de retorno dos refugiados. Recentemente, Roger Waters estimulou artistas e veículos de mídia a boicotarem o Eurovision Song Contest em Tel Aviv, no mês passado, com o argumento de que isso iria “branquear” as políticas de Israel em relação aos palestinos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza.

Questionado na página Bring Disturbed to Israel sobre isso, Draiman respondeu: “Para elaborar um pouco sobre isso, além de apenas a minha postura agressiva contra isso … O raciocínio de que não importa de que lado da cerca você está politicamente … E olha, eu não acho que alguém em qualquer país sempre concorda com todas as decisões do país – Eu não concordo, okay? Mas eu sou muito, muito apoiador de Israel e do nosso povo. E independentemente de ser Israel ou de qualquer outro lugar, boicotar toda uma sociedade e todo um povo baseado nas ações de seu governo é absolutamente ridículo. E isso não atinge objetivo nenhum. Eu não vejo boicotes acontecendo na Rússia; Eu não vejo boicotes acontecendo em muitos dos países que têm alguns dos regimes mais opressivos e fechados existentes na face do planeta, onde pessoas LGBTQ são perseguidas, onde todos os tipos de minorias são perseguidos. Não vejo pessoas boicotando a China pelo que estão fazendo com sua população muçulmana. É apenas Israel que recebe esse tratamento, e acho que todos nós sabemos o motivo por trás disso. Há um ódio especial que existe para o povo judeu neste mundo, e que infelizmente não pode ser explicado. É algo que durou e esteve profundamente arraigado por séculos, e isso é parte do nosso fardo como um povo, infelizmente“.

Draiman ainda menciona nominalmente Waters e o associa ao nazismo: “Você não pode realizar nada em termos de tentar criar paz, em termos de tentar criar entendimento, fechando as coisas. Tem que haver estradas abertas de comunicação. Você constrói pontes; você não as derruba. E música e entretenimento são a maneira perfeita de superar essa lacuna. E a própria noção de que Waters e o resto dos seus camaradas nazistas decidem que este é o caminho a seguir para promover a mudança é absoluta loucura e idiotice. Não faz sentido algum. Baseia-se apenas no ódio de uma cultura, de um povo e de uma sociedade que foi demonizada injustificadamente desde o começo dos tempos. Você quer ser capaz de unir as pessoas? Você quer efetuar mudanças sociais em um nível real? Junte-as para um show. É a maneira perfeita. A música constrói pontes, e o fato de que alguém tentaria dissuadir os artistas de tentar fazer o que a música foi criada para fazer em primeiro lugar é incompreensível para mim“.

A última passagem do Disturbed pelo Brasil aconteceu em 2016 na primeira edição do Maximus Festival. Veja abaixo a nossa cobertura:

 

 

Formado em jornalismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) desde 2014, iniciou a jornada nesse meio colaborando em diversos sites especializados em rock e heavy metal ainda em 2007. Fundador do Heavy Talk.

 
Categoria: News
Tags:




Deixe seu comentário





0 Users Online
 
HEAVY TALK - Official Website - All Rights Reserved 2017
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com