Quando sonhos morrem, os anjos choram
Postado em 10 de junho de 2019 @ 21:08 | 1.940 views


O Shaman era um sonho. Para muita gente.
O Andre era um sonho. Para mais gente ainda.

Ele criou o caminho que centenas de milhares quiseram trilhar. Ele foi o maior herói do heavy metal brasileiro. Mesmo quem não era um fã da sua música respeitava o seu legado. O que o Andre construiu era ilibado e incriticável. Ele realizou o impossível (como um herói faria).

E mesmo em uma época onde o cinema nos apresenta a possibilidade de heróis morrerem, não estávamos preparados para perder um na vida real.

O Andre foi meu maior ídolo na música. Me tornar amigo dele era um sonho (que eu mal entendo como foi realizado). Ser respeitado e elogiado por ele sempre foi surreal. O Heavy Talk existe por causa dele. Ele foi a primeira entrevista, e foi quando eu percebi que eu deveria ter um canal de entrevistas. Ele era o alicerce sobre o qual eu construí o meu trabalho.

Eu perdi um ídolo. Eu perdi um amigo. Eu perdi parte de um sonho. Eu perdi o alicerce.

 

 

Mas eu não perdi a memória. O que é eterno nunca morrerá por completo. Com a partida dele, se encerram muitos sonhos. O sonho do Shaman com a formação original, o sonho de uma reunião com o Angra incluindo ele, o sonho de conhecer um ídolo, de tirar uma foto… No meu caso, o sonho de mais uma conversa absurda sobre criação de renas ou tribos pré-históricas.

Andre, a ideia de que eu nunca mais conversarei com você sempre me arranca lágrimas. E eu acho que isso não vai passar com o tempo. Se conformar, sim. Superar, em parte. Esquecer, jamais.

Mas seguimos em frente, como sugere seu maior sucesso. O Andre nunca gostou de olhar para trás. Quando uma banda não dava certo, ele encerrava e começava outra ainda melhor, sempre lembrando dos acertos anteriores.

Que a gente possa seguir da mesma forma. Lembrando sua grande vida e obra. Muitos sonhos morreram, mas muitos estão por vir. O Sinistra com Luis, os discos solo do Hugo, os infinitos trabalhos do Fabio, o legado do Ricardo, as celebrações do Angra, a continuidade do Viper, a inspiração para centenas de bandas… A própria continuidade do Shaman, que eu acho que deve permanecer de pé.

E nós temos que erguer essas bandeiras! O Andre cumpriu a missão dele. Essa é a nossa! Pois em cada um desses novos sonhos, a memória dele estará presente, sendo homenageada e servindo de inspiração.

Obrigado por tudo, Andre. Mesmo sem estar mais aqui, você continua construindo sonhos e inspirando arte.

 

 

Nem eu mesmo sei se acredito em reencontros. Mas carrego suas palavras em Time Will Come:
Someday you’ll be gone. Where to, you’ll never know. See you there!

Formado em jornalismo pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) desde 2014, iniciou a jornada nesse meio colaborando em diversos sites especializados em rock e heavy metal ainda em 2007. Fundador do Heavy Talk.

 
Categoria: Artigos · News




Deixe seu comentário





0 Users Online
 
HEAVY TALK - Official Website - All Rights Reserved 2017
Website by Joao Duarte - J.Duarte Design - www.jduartedesign.com